Procure uma crítica

23.5.13

Crítica: The Big Bang Theory (6ª Temporada)

The Big Bang Theory (6ª Temporada)

Série de TV/ Comédia
2012/ 2013 - Estados Unidos, 504 minutos

Criador: Chuck Lorre, Bill Prady

Elenco: Johnny Galecki, Jim Parsons, Kaley Cuoco,
Mayim Bialik, Kunal Nayyar, Simon Helberg, Melissa Rauch


O problema mais comum das séries televisivas é, independente do gênero, atingir o cansaço e a fadiga do telespectador com situações repetitivas e sem qualquer acréscimo ao material que vai perdendo sua áurea até perder audiência o suficiente para ser cancelado. The Big Bang Theory está chegando ao fim de sua sexta temporada e mostra como a criação de Chuck Lorre, que pareceu antiquada e não comercial para os executivos em seu lançamento há 6 anos atrás, é uma fábrica de boas reinvenções e de alto retorno financeiro.

A trama segue a simplicidade das temporadas anteriores, acompanhando o cotidiano do elenco principal. O sucesso do vigor da série consiste basicamente em explorar o universo criado e não apostar nas mesmas piadas de sempre. Isso, claro, mantendo a (ótima) personalidade dos protagonistas. É divertida a forma como Lorre retrata problemas sociais relativamente sérios com bom senso de humor e sutiliza, sem apelar exageradamente para o pastelão a fim de arrancar a todo custo riso da plateia. As situações são naturalmente divertidas e mérito, mais que justo, para o esplendoroso elenco. A interação de todos os atores é excelente e conduz o atento roteiro a retirar as melhores sacadas deles. Por falar em roteiro, alguns diálogos desta temporada atingem graus épicos. Com certeza, a fórmula-chave do sucesso da série. Entretanto, ainda é difícil Jim Parsons não roubar as cenas que está presente e a decisão dos criadores de colocarem  Mayim Bialik (Amy Farrah Fowler) como  apoio de elenco para o ator é excepcional. Aliás, a personagem recebeu uma ótima (e merecida) ampliação em seu tempo de tela. Suas falas, expressões e sacadas são impagáveis.

A única (incômoda) ressalva da temporada fica com a inclusão da personagem Lucy (vivida por Kate Micucci). Na tentativa de atender ao pedido do público em dar uma namorada para Raj, a série investe um tempo grande em tela para uma relação que não agrada. As situações vividas pela personagem são tão constrangedoras e problemáticas que não conseguem comprar o público e desperdiça tempo dos rápidos 20 minutos de cada episódio. Felizmente nada que comprometa a diversão geral da série.

Seguindo uma formula de sucesso, sabendo se reinventar sem, de fato, mudar e com um excelente elenco de ótima entrosação, The Big Bang Theory está longe de dar sinais de cansaço e se manter esta linha, o público está mais que garantido.


Nota: 9/10

Um comentário:

  1. Desde que eu me apaixonei a primeira temporada da série tem um conteúdo bastante atraente, além é muito maravilhoso para geek estilo.

    ResponderExcluir

(Comentários de baixo calão serão moderados e excluídos)