Procure uma crítica

9.1.13

Crítica: Mistérios da Carne


MISTÉRIOS DA CARNE
Mysterious skin

Estados Unidos, Holanda, 2004 - 99 min.
Drama 

Direção:
Gregg Araki

Roteiro: 
Gregg Araki, baseado em livro de Scott Heim

Elenco: 
Joseph Gordon-Levitt, Brady Corbet, Elisabeth Shue, Michelle Trachtenberg, Bill Sage, Jeffrey Licon, Lisa Long, Chris Mulkey, Richard Riehle


Situações perturbadoras na infância podem repercutir por toda uma vida. Em "Mistérios da Carne, Gregg Araki aborda o assunto em um extremo nível de perturbação.

No longa, conhecemos a história de Neil (vivido por Joseph Gordon-Lewitt) e Brian (Brady Corbet ainda crianças. Em uma noite de Halloween coisas estranhas vem a acontecer com ambos, porém, Brian não tem a minima ideia do que aconteceu, mas acredita ter sido abduzido por alienígenas. O tempo se passa e a vida os afasta, mas contantes sonhos estranhos atormentam Brian que começa uma busca imaginando que Neil tem as respostas para tudo o que ele vem passando nos últimos anos.

Após o termino do longa, é fácil entender o porquê Araki escolhe em abordar a mesma história sob duas versões absurdamente opostas dentro de um mesmo acontecimento. Além de claro, a situação do próprio roteiro, nada mais comum neste tipo de situação que a mente entre no que os psicólogos costumam chamar de "campo da distorção da realidade", da qual o individuo, ou neste caso, os indivíduos, olham para uma situação e simplesmente a manipulam mentalmente para uma visão muito diferente da ocorrida e isso pode acontecer por inúmeras situações, dependendo de cada individuo e de suas próprias histórias de vida.

A direção do americano é peculiar e falsamente modesta em desenvolver o longa de maneira natural e pouco abusiva, afinal, a revelação do terceiro ato é tão doentia que se torna muito incomoda e chega a causar certa hipocrisia aos dois atos anteriores. Felizmente no bom sentido. 

Gregg também foge do clichê deixando de fora situações que aliviem a carga dramática posteriormente ou comum redenção de personagens no fim do longa. Akari entende também a necessidade do longa em criar certa "fantasia" entre a visão dos protagonistas para fazer com que o telespectador mergulhe na mentira que os jovens vivem e mérito aqui das competentes atuações.

A única ressalva do longa fica pela sua inspiração, horas quase que gritantes, em Donnie Darko e uma pitada de Réquiem Para Um Sonho, seja no design de produção, figuro ou na fotografia, mas nada que comprometa o longa, além do mais, "Mistérios da Carne" se mostra tão competente que facilmente poderia ser passado para estudantes de psicologia compreender quão deturpada a mente do ser humano pode ficar em situações nada convencionais . 

Nota: 8,3/10


Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Comentários de baixo calão serão moderados e excluídos)