Procure uma crítica

3.6.10

Crítica: Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo



PRÍNCIPE DA PÉRSIA: AS AREIAS DO TEMPO
Prince of Persia: The Sands of Time

EUA, 2010 - 116 min 
Aventura

Direção: 
Mike Newell

Roteiro:
Boaz Yakin, Doug Miro, Carlo Bernard

Elenco: 
Jake Gyllenhaal, Gemma Arterton, Ben Kingsley, Alfred Molina, Steve Toussaint, Toby Kebbell, Richard Coyle, Ronald Pickup, Reece Ritchie

Em mais uma semana de blockbusters, chega aos cinemas "Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo. Vindo de adaptações de uma franquia dos consoles intitulada "Prince of Persia". O novo filme de Mike Newell traz outro épico aos cinemas. É superior ao longa de Louis Leterrier (Fúria de Titãs) mas os problemas de um, são os do outro.

Na trama, um pobre garoto é visto com bons olhos ao rei da Pérsia e lhe é concedido lugar dentro dos nobres. Logo Dastan (Jake Gyllenhaal) torna-se um nobre príncipe. Após a vitória de batalha, Nizam (Ben Kingsley) arma uma armadilha para o rei e culpa Dastan, que se vê obrigado a fugir com a ajuda da princesa Tamina (Gemma Arterton). Com ela, o príncipe descobre que seu tio quer uma adaga cuja sua areia é capaz de voltar no tempo para mudar seu passado e se tornar rei.

De uma fotografia esplêndida, Príncipe da Pérsia é tecnicamente quase irretocável, de uma construção gráfica grandiosa, junto de técnicas de filmagens capazes de conseguir tudo o que se precisa para aperfeiçoar cenas grandiosas e épicas. As referencias ao jogo são muitas e deve deixar os fãs contentes, porém, sua história segue um caminho distinto do jogo. Uma produção de Jerry Bruckheimer, feita pela Disney, era e é compreensível que deixasse toda a sanguinolência do jogo e tornasse o filme "mais acessível" ao público. Até aqui tudo bem. Até começarem os alívios cômicos insuportáveis.

Como "Transformers 2" e o recente "Fúria de Titãs", Príncipe da Pérsia perde-se e deixa de ser tudo o que se esperava. Os produtores executivos dos estúdios hollywoodianos devem estar achando que somente crianças até 10 anos de idade frequentam o cinema. Mas devo dizer que tudo isso é contraditório, já que nenhum dos filmes citados é para menores de 12 anos. Pura ironia ou a massa que frequenta o cinema está cada vez mais fútil e ignorante ao ponto destes produtores executivos colocarem QUALQUER material em exibição e as pessoas tratarem aquilo como algo realmente sensacional. Ser um filme rotulado como "blockbuster" tudo bem, mas descomprometimento tem limites, que deveriam ser impostos em todas as pessoas que cada vez mais lotam as salas de filmes do gênero. Uma pena. Não que Príncipe da Pérsia seja tão ruim ao ponto de merecer tamanho repreensão, mas para o público mais exigente, a cada ano que se passa, as temporadas de blockbusters estão cada vez mais fúteis do que divertidas, o que não era para acontecer. Esperamos que os próximos filmes melhorem tudo o que já veio. De longe, uma das piores temporadas dos últimos 6 anos.

Voltando ao longa, Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo também cai no clichê hollywoodiano de achar tudo o que é dark pode se transformar em algo engraçado. Nem me refiro à adaptação que foi feita do jogo para o longa, mass sim de tudo o que foi incluído no filme, além de cenas que são absurdamente desnecessárias como a dos avestruzes e passagens que são construídas apenas para dar continuidade a ação desenfreada que levará ao desfecho vazio. 

Jake Gyllenhaal é um bom ator. Fez um ótimo trabalho em "O Segredo de Brokeback Mountain", mas como Sam Worthingtion, Gyllenhaal não convence como um príncipe, suas expressões são incapazes de criar um personagem de presença. Mas ao contrário de Worthington, suas expressões tentam e algumas vezes são carismáticas e suas cenas de lutas, ao menos, são convincentes, só não são ótimas porque seu rosto americanizado corta o efeito do que seu corpo faz em muitas cenas de ação. Gemma Arterton cria uma boa química com Gyllenhaal, mas os mesmos problemas americanizados do ator atingem a moça. Já Ben Kingsley se esforça junto a suas expressões que o tornam naturalmente um tanto quanto maléfico, mas não vai além. O resto do elenco mantém um resultado mediano.

Com uma história simples e um roteiro fraco, o longa decepcionou nas bilheterias norte-americanas de uma maneira que sua continuação está indefinida e incerta. Mas realmente não sei se acho tudo isso bom ou ruim. Bom se conseguirem acertar toda a palhaçada que colocaram ao longo deste filme ou ruim se tornarem tudo isso ainda pior.

Nota: 6,0

12 comentários:

  1. Não concordo com essa crítica. O filme é genial, perfeito, espetacular, e tem que ganhar muitos óscares.

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não ví o Filme, pela crítica parece não ser bom. Mas vou assistir para ter minha Opinião.

    ResponderExcluir
  3. cara, eu sinceramente não li toda a crítica, pqe não foi preciso pra ver que é uma dessas coisas chatas que alguns "especialistas" (ou que pensam que são especialistas) escrevem tão detalhada e "profissionalmente" que dá no saco na terceira linha. Por incrível que pareça, não tô querendo desmerecer, pelo contrário.. o que quero dizer é que: meu, eu tenho 17 anos.. sou uma brasileira comum.. apaixonada, idiota, imatura.. eu não tô me ligando em "ação(ões) desenfreada(s) que levará(ão) ao desfecho".. eu quero que o filme faça sentido, seja legal, tenha atores que me façam querer ver mais, esse tipo de coisa. Não que eu não seja analítica, mas a grande maioria das pessoas que vai ao cinema só quer ver um bom filme, então críticas como essa meio que não mudam muita coisa.

    ResponderExcluir
  4. essa critica so fala merda velho,vai reparar na expressao dos caras,vai tomar no cu pow ,ker da uma d intelectual e entendedor d filmes ,o filme eh do caraio com cenas d açao mais do caraio ainda

    ResponderExcluir
  5. Se acham tão inteligentes, esses tipinhos de "especialistas" pq vc n vai opinar no inferno com o satanas .?
    Eu gostei do filme e pronto pra mim sua opinião n eh mais do q alguma das muitas merdas encontradas na internet....

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. as referencias do filme ao jogo saum super bacanas mas o enredo é tosco e bem longe do jogo...

    ResponderExcluir
  9. o filme é uma bosta mesmo. e quem gostou é um idiota. falei.

    ResponderExcluir
  10. Não concordo com a crítica absolutamente. O filme, se tratando de uma adaptação, esteve dentro do esperado. O atorJake Gyllenhaal fez um excelente trabalho e... meu,na boa, essas críticas especialiasta por quem vai ao cinema com uma visão diferenciada, enchem um tanto. sem desmerecer, nunca. mas o filme tem ação, a história fez sentido, e o obejetivo é entreter. cenas engraçadas, sim. é daí? ficou bem feito e isso é que importa. Entendo os fãs do jogo que ficaram decepcionados, eu jogo, mas não tenho nada a reclamar.

    ResponderExcluir
  11. "o filme é uma bosta mesmo. e quem gostou é um idiota. falei."

    eu amo o jake, adorei o enredo e de adaptações péssimas minha vida é cheia (sim, sou fã de harry potter) então se eu sou idiota por ter ADORAAAAAAAAAAAADO o filme e, literalmente, ter visto três vezes no cinema, que seja, não vão ser comentários em blogs que vão mudar minha vida. falei.

    ResponderExcluir
  12. Achei o filme muito bom , não sou crítica de cinema e não saberia quais aspectos analisar, mas confesso que é um filme com uma trama boa e que me prendeu bastante... Tanto o príncipe como a princesa são de uma beleza espetacular. Agora fala sério e que é aquele príncipe .... affff rs
    Mas gostei muito dos efeitos do filme, da fotografia e a hora em que apertada a adaga se volta no tempo ..... .Um boooooooom filme.

    ResponderExcluir

(Comentários de baixo calão serão moderados e excluídos)