Procure uma crítica

26.6.10

Crítica: Kick-Ass: Quebrando Tudo

KICK-ASS - QUEBRANDO TUDO
Kick-Ass 

EUA / Reino Unido, 2010 - 117 min.
Ação

Direção: 
Matthew Vaughn

Roteiro: 
Matthew Vaughn, Jane Goldman, Mark Millar

Elenco: 
Aaron Johnson, Chloe Moretz, Nicolas Cage, Mark Strong, Christopher Mintz-Plasse, Clark Duke, Evan Peters, Lyndsy Fonseca, Jason Flemyng


Depois de uma agradável recepção na Comic Con ano passado, Kick-Ass: Quebrando Tudo chega aos cinemas. Tudo o prometido por Matthew Vaughn é cumprido e o longa é um dos mais audaciosos dos últimos anos, o único problema do longa é ter divulgado a maioria das cenas nos trailers, quebrando o "algo além" da expectativa.

Como na HQ, o filme conta a história de Dave Lizewski (Aaron Johnson) um garoto nerd viciado por quadrinhos questionando o motivo de por que ninguém nunca ter tentando ser um super-herói. Após notar e ser vitima da violência de sua cidade, Dave decide se transformar em um herói combatente ao crime. Só que ele não esperava achar outras pessoas no ramo e vilões de verdade.

A brutalidade e a inocência são retratadas de forma tão real no filme que causa espanto no telespectador e ao mesmo tempo empolgação. Junto da ferocidade e humor negro de ver uma garota de 11 anos fazer e falar coisas inacreditáveis, já é prova de que Vaughn não conseguiria ter o filme exatamente como ele chegou aos cinemas se realmente não o tivesse, ele próprio, financiado e dado ao projeto toda a densidade necessária para que a película não tivesse se tornado mais um "Dragonball: Evolution" da vida. E mesmo com o risco de falir, ele negou a todos os estúdios que quiseram comprar o filme com a condição de alterações. Isto que é paixão pelo arte e Kick-Ass esbanja esta vontade de um diretor dedicou teve todo o tempo necessário para que este projeto ganhasse vida.

Os personagens estão ótimos. Aaron Johnson como Kick-Ass não poderia estar melhor. Toda a inocência e vontade que constrói o personagem desde o primeiro ato vão se transformando conforme o tempo e ele vai tendo consciência do que criou e das consequências de seus atos. Já Chloe Moretz se mostra uma atriz fantástica. É quase inacreditável como a garota conseguiu chegar a um nível extremo para dar feracidade e brilhantismo na personagem Hit-Girl e Nicholas Cage finalmente saiu do automático e voltou a ser ator, está ótimo como Big-Daddy, junto de todo o elenco secundário.

O resultado da audácia do filme é super positiva. Kick-Ass é superior aos longas do gênero e uma das boas surpresas neste ano, que definitivamente decepcionou demais com vários projetos (esperamos que isso mude com Inception de Christopher Nolan, Harry Potter e Tron Legacy). O único problema do longa é não ultrapassar as expectativas de quem já havia visto o material do longa nos trailers, mas se você não os viu, desconsidere e divirta-se! Hit-Girl destrói!

Nota: 8,5

3 comentários:

  1. opa, concordo que os trailers adiantaram muita coisa, mas achoq ue foi mais porque tiveram MUITOS trailers diferentes e vários clips, achoq ue abusaram nesse filme, mas até que foi um mal necessario porque o investimento nele foi arriscado e tal.

    e também acho que ja tivemos filmes melhores esse ano, como Ilha do Medo e Toy Story 3.

    ResponderExcluir
  2. opa, concordo que os trailers adiantaram muita coisa, mas achoq ue foi mais porque tiveram MUITOS trailers diferentes e vários clips, achoq ue abusaram nesse filme, mas até que foi um mal necessario porque o investimento nele foi arriscado e tal.

    e também acho que ja tivemos filmes melhores esse ano, como Ilha do Medo e Toy Story 3.

    ResponderExcluir
  3. adorei o filme, espero q tenha a continuação...

    ResponderExcluir

(Comentários de baixo calão serão moderados e excluídos)